quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Pollyana defende valorização dos servidores municipais



Ao fazer uso da tribuna, no início da 181ª Sessão Ordinária, a vereadora Pollyana Gama (PPS) comentou sobre a matéria publicada hoje pelo jornal Gazeta de Taubaté que tratou da campanha de revisão salarial dos funcionários da prefeitura.

“Temos registros que apontam para falta de uma revisão que contemplassem os índices da inflação. Já sugeri um plano de recomposição salarial. Sabemos que é difícil, mas com planejamento é possível”, salientou.

Pollyana criticou o atual prefeito, que em campanha eleitoral, prometeu solucionar essa problemática. “O que não pode acontecer é se fazer promessa em época de campanha e depois não oferecer nem o básico, que é a revisão com base na inflação”.

PASSEIO CICLÍSTICO

Ela também comentou que participou do passeio ciclístico organizado pelo Ministério Sonho de Deus, na última terça-feira. Além disso, a parlamentar parabenizou a atuação do grupo Coalizão anti-drogas, que realizou um trabalho de prevenção e conscientização na Avenida do Povo, durante o carnaval, sobre o uso de drogas lícitas e ilícitas.

PROJETO VIVA O BEBÊ

Por fim, Pollyana compartilhou que esteve na Irmandade de Misericórdia, onde mais uma vez conferiu o trabalho desenvolvido com as mães e recém-nascidos.

Na oportunidade, ela explicou que as mães recebem uma bolsa de maternidade com produtos de higienes e roupinhas para a criança e que um segundo kit é oferecido após a comprovação de vacinação e ida regular ao pediatra.

“Para a mãe receber esse segundo kit, precisa comprovar que a criança está vacinada. Ocorre que tivemos a informação que, embora o recém-nascido antes saísse da maternidade do Hospital Escola já com a vacina BCG, agora a vacina não é mais ofertada no local. Questionamos a prefeitura, verbalmente, e fomos informados que há anos o procedimento não ocorre. Deste modo, encaminhamos ofício solicitando informações, pois é de fundamental importância que a criança seja vacinada o quanto antes”.



segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Pollyana dá boas-vindas ao novo presidente da Câmara e compartilha ações de seu mandato

No fim da sessão, a vereadora Pollyana Gama cumprimentou o novo presidente, vereador Paulo Miranda (PP) desejando-lhe êxito à frente da Casa de Leis.

Ela também renovou o compromisso de trabalho e ressaltou a importância da população no processo democrático local. “É sempre muito satisfatório andar pelas ruas e perceber que as pessoas acompanham nosso trabalho, seja pela TV Câmara, seja pelas redes sociais. E peço que cada munícipe trabalhe conosco, direcionando nossas ações de fiscalização”.

Para Pollyana, é preciso resgatar o sentimento de pertencimento da população. “Temos que construir juntos a cidade que sonhamos”, reforçou.

Emendas ao Orçamento Municipal

Pollyana informou que as emendas que apresentou ao orçamento foram sancionadas. Mas que agora, o seu compromisso será acompanhar a execução.

[Pollyana apresentou emendas para o Centro de Controle de Zoonoses; Vigilância Epidemiológica no combate à dengue, Liga Municipal de Futebol, promoção de eventos culturais, e às entidades de atendimento a idosos e de atendimento a pessoas com deficiência, bem como para aquisição de automóvel equipado para coleta de leite humano e outro para transporte dos assistidos por entidade de apoio a pessoa soropositiva].

Guia de Saúde

A vereadora disse estar satisfeita ao ver sua sugestão de se produzir uma cartilha de procedimentos para a Saúde ser concretizada.

“Insisti durante todo este mandato junto à Administração, pois o que se observa é a constância de informações desencontradas. Espero que o Guia de Saúde contribua com uma melhor orientação aos usuários da nossa rede municipal de saúde”.

Carnês de IPTU duplicados

Pollyana apresentou requerimento sobre o envio de carnês de IPTU duplicados aos mesmos imóveis. Ela expôs algumas situações que podem gerar problemas aos usuários e questionou se os códigos de barras se referem a uma conta da Administração.

“A prefeitura precisa se posicionar sobre isso. Qual a orientação a Administração Municipal dá aos munícipes? Nós demos a orientação de protocolar requerimento junto à prefeitura para saber qual o procedimento adotar, mas quero ter acesso ao posicionamento do Poder Executivo.

Comissão de Finanças

Por fim, a vereadora comentou sobre sua eleição para a Comissão de Finanças.

“Para minha surpresa, alguns colegas do grupo que não votaram pela eleição do vereador Paulo Miranda para presidente da Casa, votaram em mim para integrar a Comissão de Finanças. Por isso, agradeço o reconhecimento e a confiança dos pares ao trabalho que venho realizado ao longo desses doze anos”.


Ela informou que neste ano será presidente da Comissão de Finanças e também da Comissão de Educação, Cultura e Turismo.

Pollyana defende proibição de publicidade com apelo sexual




A vereadora Pollyana Gama declarou seu voto favorável ao projeto de lei ordinária nº 63/2015, de autoria do vereador João Vidal (PSB), que trata sobre a proibição de publicidade de imagens sensuais ou de cunho pornográfico em painéis, outdoor ou assemelhados.

Pollyana fez uma pesquisa sobre o tema e sustentou sua defesa baseando-se em trechos de um artigo do Dr. Prof. Carlos Alberto di Franco, que é diretor do departamento de Comunicação do Instituto de Ciências Sociais.

“Carlos Alberto explica em dado trecho que ao nos depararmos com uma imagem como essas expostas em outdoor, nossa primeira reação é repugnar, porém, com o tempo, nos percebemos diante do acostumamento”, compartilhou.


A vereadora ressaltou que o Brasil, além de ser conhecido pelas belezas naturais, infelizmente também é tido como o país do sexo fácil e barato. Ela acredita que que essa imagem transmitida só poderá ser mudada se contar com ações inclusive de governantes.

“Atualmente, a família brasileira convive com uma fragilidade que é acentuada também pela linguagem visual a que estamos expostas”, afirmou.

Pollyana disse ter feito uma breve pesquisa e constatou que em algumas cidades, já tiveram casos de agências de publicidade e de motéis que foram condenados pela justiça.


“Sou favorável ao projeto e cumprimento o vereador João Vidal pela propositura. O apelo à sensualidade precariza os sentimentos, as afetividades e, de certa forma, incita à rede de pedofilia. É preciso lembrar que é por meio de uma relação sexual que temos a concepção da vida, mas é preciso tratar disso como uma relação responsável”, defendeu.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Pollyana acompanha parecer contrário da Comissão de Finanças ao Orçamento 2016



Ao discutir o parecer contrário exarado pela Comissão de Finanças e Orçamento ao projeto de lei ordinária nº 205/2015, que trata sobre o Orçamento Público Municipal para 2016, a vereadora Pollyana Gama (PPS) destacou alguns pontos que avalia merecerem destaque.

A parlamentar destacou a falta acesso à participação popular na construção do Orçamento Público.

“Infelizmente não houve a discussão com a população sobre as prioridades a serem elencadas. Muitas pessoas acreditaram na promessa de Orçamento Participativo feita em período de campanha eleitoral”, argumentou.

Ela ainda ponderou que a ida do prefeito ao bairro, nas quais costuma atender munícipes que buscam soluções de suas particularidades, não atendem ao que seria necessário para um orçamento participativo.

“Nessas ocasiões, a população aponta ao prefeito as suas necessidades pontuais e o fazem justamente porque não recebem o devido atendimento dos serviços públicos. Acredito que essas visitas do prefeito aos bairros poderiam ser usadas como forma de mensurar quais as principais solicitações feitas pela população, de modo a tabular isso para a construção de um orçamento real. Se essa tabulação já é realizada como instrumento, gostaria de conhecer os dados levantados”, disse.

Pollyana comparou números que vêm sendo apresentados desde 2013 e, com base neles, apontou a falta de critérios para planejamento da Administração.

Ela compartilhou que enquanto o Orçamento estimado para 2013 apontava uma receita de R$ 754 milhões, os valores arrecadados chegaram a R$ 705 milhões, apresentando uma diferença de cerca de 7%. A queda permaneceu em 2014, quando se previa arrecadar R$ 874 milhões, mas somente R$ 726 milhões compuseram o ‘caixa’ da prefeitura.

“Essa variação, em 2014, aponta para 14% de diferença, que equivale a 2 meses sem arrecadação.  Em 2015, o mesmo ocorreu: era previsto mais de R$1,1 bilhão, mas somente R$ 924 milhões foram arrecadados, significando, portanto, uma diferença de 18%, ou mais de dois meses sem arrecadação”, explicou a vereadora que apontou para a possibilidade de o mesmo fenômeno ocorrer em 2016, chegando a uma diferença de 30% da receita prevista para a de fato arrecadada, caso os recursos do CAF (que está incluído dentro da estimativa do Poder Executivo) não seja liberado.

“Diante do que avaliamos, o orçamento de nosso município está inflado. Um gestor sério trabalha com a realidade e o fato é que a receita vem caindo”, defendeu.

A parlamentar contextualizou sua percepção com o fato de que, com a crise enfrentada pelo país, serviços essenciais como Educação, Saúde e Desenvolvimento e Inclusão Social acabam sendo mais procurados e critica o fato de que, mesmo diante deste cenário, a Administração diminua a porcentagem destinada a essas pastas.

“Enquanto se diminui porcentual para esses setores, observamos o orçamento para Obras quase dobrar. Eu até entendo que para crescer, é preciso oportunizar postos de trabalho e que novas obras acabam contribuindo neste sentido. Porém, é muito arriscado condicionar essa possibilidade somente a uma única condição: a vinda de recursos do CAF”.

A vereadora ainda expôs que observou certa dificuldade na elaboração do planejamento, uma vez que na peça orçamentária continham erros até mesmo nas somas apresentadas.


Por fim, ela criticou a falta de divulgação à população quanto às Audiências Públicas e discussões sobre o Orçamento. “Eu pergunto a razão para não se ter usado verba de publicidade para atingir massivamente a sociedade. Por que não foi divulgado em TV, nos canais abertos, com outdoors, anúncios em rádios, como se faz ao divulgar pontos positivos da Administração?”.  

sábado, 5 de dezembro de 2015

Taubaté, tudo de bom!




Pediram para que eu escrevesse sobre memórias da minha infância aqui em nossa Taubaté.

Então fiquei a pensar... O curioso é que a cada recordação, surgiam na minha "tela mental" as ruas nas quais morei, percorri, convivi, vivi compondo minha história.

A rua mais antiga do meu baú de memórias é a Mariano Moreira, no Largo Chafariz. Não morei lá, mas minha vó Cidinha mora até hoje. Por ali seguia de mãos dadas com meu avô Didi para comprar paçoquinha de coração e Choquito no bar do Catoxe ou no bar do Pedro. E sigo até hoje. Porto seguro de nossa família...

Mas vamos aos outros tantos lugares de minha infância. Começo onde vivi meus primeiros anos: Avenida Marrocos, Independência . É impossível não lembrar do trem e da distância. Para mim, aos cinco, seis anos de idade, essa avenida era a maior do mundo, isso porque tinha que percorrer toda a sua extensão diariamente para chegar na "escolinha da prefeitura", onde fiz o pré-primário. Às vezes pensava: "bem que o trem podia levar a gente". Por ela também segui uma vez, de casa em casa, com minha mãe que buscava assinaturas para um abaixo-assinado visando a colocação de uma placa de trânsito com a mensagem "cuidado com nossas crianças".

E a Avenida São Pedro?! Morei numa de suas travessas aos sete anos, mas não tem uma só vez que passo por lá sem recordar das manhãs que, junto com a comunidade, ajudavávamos a preencher os desenhos dos tapetes para a procissão de Corpus Christi com pó de café ou de serragem colorida. A professora Celinha Marques deve lembrar, pois foi minha catequista e incentivava nossa participação.

Também lembro saudosa da rua Cônego Altino de Moura e do morro que subia diariamente para chegar ao ‘Estadão’, onde estudei por três anos e dancei de Balão Mágico, Menudo ao
 Lionel Richie com Paulinha, Lucimeire e Selma. Uma pitada de saudade misturada a um sorriso nasce aqui ao relembrar disso. Ali também ajudei a organizar um bloquinho de carnaval que se concentrou na pracinha, em frente à casa da dona Dulce Danelli.

Depois nos mudamos para uma casa na rua Alcaide Mor Camargo, conhecida como rua do ‘postão de saúde’. Por lá ficamos por quase uma década e isso fez minha coleção de memórias aumentar. Conosco veio também nosso podlee vira-lata, o Freeway.

Agradecia todo dia por não ter de subir aquele morro ainda mais alto que o da rua anterior para ir à escola. Aliás, a escola já era outra.  Eu havia passado no "vestibulinho" para estudar no "Municipal", na época, nossa EM 1º e 2º Graus Prof. José Ezequiel de Souza. Outra lembrança era virar a esquina de casa para jogar taco, bandeirinha ou queimada na rua da Glória com uma turma e tanto! Eu e Viviane Cunha coordenávamos as chamadas e garantíamos as equipes.

Com essa mesma turma promovemos bailinhos, gincanas e  nossa primeira ação beneficente: uma festa junina para ajudar a creche do Parque Três Marias. Ganhamos até honra ao mérito por isso! Dona Wilma Camões, diretora na época, pode contar mais sobre nós. Coisa boa gente, tudo de bom mesmo!

Todo tipo de recordação aparece agora aqui na minha mente: a tensão da espera pela volta da minha irmã "do meio" da cirurgia do coração; minha irmã caçula e suas cômicas tentativas de não tomar banho; minha mãe chegando, no dia do pagamento, com massa para lasanha e um guaraná; meu pai me acompanhando às 4 da manhã até à feira da breganha...

Ah, e como esquecer do primeiro beijo? O meu foi ali, na porta de casa, assim como minha primeira luta em defesa da mulher, um episódio triste de lembrar.

Esses acontecimentos revelavam-me pouco a pouco a despedida da infância e o início de uma nova  fase. Estava crescendo. O comum em todos os episódios foi e é sentir o cuidado de Deus.

A infância foi ficando no devido lugar da minha existência fazendo com que, vez ou outra, eu a visite e faça dela uma valiosa recordação que posso, ao caminhar por essas e tantas outras ruas taubateanas, contar para meu marido, minha filha e agora, pra vocês.



Por Pollyana Gama
Vereadora de Taubaté pelo PPS, escritora, professora e Mestre em Desenvolvimento Humano

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Pollyana cobra reforma da Casa dos Figureiros


A vereadora Pollyana Gama (PPS) solicitou informações ao Poder Executivo quanto à previsão para o início das obras de reforma da Casa do Figureiro, localizada no bairro da Imaculada.

Pollyana ressaltou que esteve recentemente no local e que ouviu informalmente de munícipes que a reforma está prevista para 2016. “Queremos confirmar essas informações, visto que a Casa dos Figureiros e os próprios figureiros – artesãos e artesãs – são verdadeiros patrimônios taubateanos, conhecidos no âmbito internacional pelas obras produzidas e pelo talento empregado”, disse a vereadora.


A vereadora ressaltou que o requerimento foi ainda ratificado pela preocupação de outros munícipes que, pelas redes sociais, apontaram as condições do local como feio, incoerente ao trabalho realizado pelos figureiros. “A preocupação dos munícipes é justa, uma vez que a Casa do Figureiro é um ponto procurado por turistas, que vão em busca da nossa arte. Como podemos apresentar algo belo em um espaço mal cuidado?” justificou.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Pollyana pede melhorias para rua da Fonte Imaculada



A vereadora Pollyana Gama (PPS) solicitou ao prefeito, por meio de requerimento, que realize serviço de limpeza, operação tapa-buraco e de implantação de sinalizações horizontal e vertical na Rua Bolívar Querido Guisard, na Fonte Imaculada.

  
Pollyana recebeu as solicitações de munícipes que a procuraram se queixando das condições da via, que faz esquina com a Rua Imaculada.


“O trecho que faz esquina com a rua Imaculada é o que carece de maior atenção”, relata a vereadora.

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Pollyana defende reserva de vagas para alunos com deficiência no Ezequiel


Em relação ao projeto de lei ordinária nº 175/2014, de sua autoria, que trata de reserva de vagas na Escola Municipal de Ensino Fundamental e Médio Professor José Ezequiel de Souza para adolescentes com deficiência, Pollyana justificou seu voto favorável, reforçando que o mérito da proposta.
“Tivemos parecer contrário da comissão de justiça, derrubamos o parecer, respeitando os vereadores que o emitiram porque temos ciência de que há o vício de iniciativa. Insistimos no projeto porque fizemos diversas tentativas de sensibilizar o Poder Executivo para que enviasse a proposta para a Câmara e na ausência de uma ação neste sentido, resolvemos manter o propósito de garantir esse direito aos alunos com deficiência”, argumentou a vereadora.
Pollyana agradeceu aos pares pelo apoio à propositura e disse que ela vai ao encontro das diretrizes da Educação Básica e comunga com o que prevê o Plano Nacional de Educação, em termos de inclusão. “No âmbito local, do que analisei o Plano Municipal de Educação, que tramita nesta Casa, não observei a inclusão do Ensino Médio sendo contemplada”, afirmou.
A parlamentar se comprometeu a aceitar um novo projeto da mesma natureza, caso o prefeito entenda a necessidade de enviar a proposta para o legislativo. “Sei que existe a possibilidade de o prefeito vetar o projeto, pelo vício de iniciativa. Mas não vejo problema em aprovar um novo projeto com o mesmo teor, caso o prefeito o envie juntamente com o veto a este projeto”.
Para ela, o mais importante é que o prefeito se sensibilize com a proposta de dar acesso aos alunos com deficiência ao Ensino Médio Municipal. “O que nos importa é que os alunos com deficiência tenham o direito à inclusão garantido em nossa rede”, finalizou.

Leitura & Lembranças



Fui convidada pela foto/legenda e pergunta a leitura desse artigo do Coronel José Vicente da Silva Filho no jornal Gazeta.
Diante de inúmeros fatos desumanos que temos tomado conhecimento, o texto nos chama a atenção para tomarmos cuidado com "generalizações" e de certa forma nos convida a prática da gentileza e apuração do nosso olhar. 



Lembrei de ontem... Ao visitar a mostra pedagógica de nossas escolas registrei vários trabalhos e um deles tratava de cultivar a cultura de paz por meio de gestos gentis. O ponto de partida foi uma música de Marisa Monte sobre o popularmente conhecido profeta "Gentileza" ( cujo vídeo coincidentemente foi postado pela minha irmã Patricia ontem de manhã ). Gostei muito do que vi mas acima de tudo do que senti com a produção dos alunos orientados pela professora.
Lembrei também de uma colega professora, ex policial militar, que deixou a corporação por ter sentido medo de se tornar insensível devido à necessidade de enfrentar situações como atender "chamados" para buscar recém nascidos, na maioria das vezes já falecidos, abandonados nas ruas de São Paulo onde trabalhou por alguns anos. Recordo de sua fala " eu tinha que me manter firme diante do que via para fazer o meu trabalho. Engoli o choro muitas vezes para depois chorar em casa"...


Entre a leitura de agora, a lembrança de ontem e essa história senti de escrever...


É necessário abrir nossos sentidos para captar e anunciar o que muita gente, muito ser humano tem feito de bom fazendo com que cada um de nós acredite que a beleza da humanidade é possível e existe. Precisamos preencher nossas vidas com atitudes conscientes tradutoras de fé, esperança num futuro mais digno exercitando nossa responsabilidade em "lançar boas sementes".


Que a indignação diante da barbárie, da intolerância, da corrupção, da arrogância, não nos paralize mas sim nos impulsione a práticas possibilitadoras de dias mais felizes, verdadeiramente felizes.




segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Ostomizados são homenageados pela Câmara Municipal



Pelo segundo ano, desde a aprovação do decreto nº 441/2013, de minha autoria, a Câmara Municipal de Taubaté faz questão de registrar o Dia Municipal do Ostomizado, que é comemorado no dia 16 de novembro.

Ao ocupar parte de uma sessão ordinária para tratarmos deste assunto, nos colocamos dispostos a refletir sobre as condições de vida dessas pessoas e, principalmente, sobre a superação de todas elas que, apesar das inúmeras dificuldades, procuram seguir sua rotina da forma mais natural possível.

É importante esclarecer que a Ostomia é um procedimento cirúrgico que consiste na abertura de um órgão como, por exemplo, algum trecho do tubo digestivo ou urinário, para fazer a comunicação com o meio externo. É um procedimento que cria um novo caminho para urina e fezes, se utilizando do auxílio de bolsas coletoras.

Em nossa região, a Associação Valeparaibana de Ostomizados, presidida pelo Sr. Mario Romero, realiza um importante trabalho aos pacientes com ostomia, dando-lhes total apoio no sentido de esclarecimento sobre as diversas questões relacionadas à ostomia, bem como na busca pelos direitos diante da nossa sociedade que nem sempre está aberta à inclusão.

A Associação também auxilia muitos pacientes com o fornecimento de bolsas coletoras, já que, segundo informações que obtivemos, embora a Diretoria Regional de Saúde - XVII tenha apresentado uma pequena melhora na disponibilização de bolsas coletoras, o material ofertado ainda não atende as necessidades dos ostomizados.

Desde que conheci o trabalho da AVO, alguns avanços foram registrados, como, por exemplo a realização de cursos de capacitação aos profissionais de saúde que lidam diretamente com pessoas ostomizadas, por meio de uma parceria entre o município e a Universidade de Taubaté, que tivemos a iniciativa de solicitar por meio de requerimento.

Ao tomarmos consciência da importância de um olhar sensível a essas pessoas, que, de acordo com a Lei Federal 5.296/2004 são consideradas pessoas com deficiência, percebemos que assim como cada um de nós, indivíduos com ou sem deficiência, todos têm as suas necessidades especiais.

E é por isso que os vereadores Gorete e Diego, por exemplo, apresentaram projetos de lei que tratam sobre o uso especial e a isenção de pagamento de tarifa de transporte coletivo aos usuários ostomizados.

Também com esse olhar sensível o vereador Nunes Coelho apresentou a proposta de que os banheiros públicos tenham adaptações especiais às pessoas ostomizadas.

A realidade para os pacientes ostomizados é distante do que seria o necessário. Mas hoje, felizmente podemos perceber que alguns passos foram dados. E é por isso que hoje estamos aqui, no Dia Municipal dos Ostomizados para lançar o convite a toda a população para caminharmos juntos rumo a uma sociedade ideal.

--------------------------------------------------------------------------------------------------

Para marcar essa data, homenageamos a Sra. Angela Boccara, que é formada em Enfermagem pela Universidade de São Paulo, especialista em Saúde Pública pela Universidade de Taubaté e Enfermagem em  Estomaterapia pela Universidade de São Paulo.

Dra. Angela também é mestre e doutora em Enfermagem pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo, sendo atualmente professora assistente do Departamento de Enfermagem da Unitau e coordenadora do curso de especialização latu senso de Enfermagem em Estomaterapia da mesma instituição.

Sempre envolvida com o tema, a Dra. Angela, que é presidente da Associação Brasileira de Enfermagem em Estomaterapia, foi a primeira coordenadora do Programa de Assistência aà pessoa estomizada da região. Foi ela quem organizou o serviço de atenção à pessoa estomizada do Centro de Saúde I de Taubaté, hoje conhecido como Ambulatório Regional de Especialidades.

Dr. Angela foi grande estimuladora da criação da Associação Valeparaibana de Ostomizados – a AVO - , participando da sua elaboração e, principalmente da sua manutenção.

Com sua sensibilidade, sempre esteve junto das pessoas ostomizadas da região, dando todo apoio necessário, inclusive criando a mantendo o curso de especialização em estomaterapia aqui em nossa região, que é o terceiro no Brasil, de forma a contribuir com a formação de profissionais para a assistência às pessoas que necessitam de cuidados especializados.

Por sua trajetória em favor dos pacientes ostomizados, Dra. Angela recebe hoje as nossas homenagens e os nossos aplausos.

--------------------------------------------------------
 
Na oportunidade, também queremos homenagear a dona Therezinha Bondioli de Oliveira, que desde 1984 é ostomizada. Dona Terezinha é atuante na causa, participante ativa dos encontros dos ostomizados e uma grande conselheira e orientadora das pessoas que passam pelo procedimento.
Conforme chegam os novos ostomizados, é ela quem sempre tem uma palavra de informação, de acolhimento e sensibilidade para recebê-los.
Por sua garra e sensibilidade como ser humano, dona Therezinha também recebe nossa salva de palmas!